Série: Em meios aos dilemas - A DOR


24 de Maio 2020

Compartilhe!!!


Série: Em meios aos dilemas

         A dor de Jó!

 

“Disse então ao homem: No temor do Senhor está a sabedoria, e evitar o mal é ter entendimento". Jó 28:28

Esse versículo é central no livro de Jó!

A sabedoria, algo que muitos desejam, mas poucos obtém. Como ter sabedoria? O nosso personagem de hoje, Jó, aprendeu que a sabedoria vem do temor ao Senhor. Conhecimento nós adquirimos facilmente, mas sabedoria apenas aqueles que de fato temem a Deus!

Como Jó chegou a essa conclusão? Em meio ao sofrimento, a dor! E é essa temática que vamos falar!

Quando a dor chega...

Ao nos depararmos com a dor e o sofrimento perguntas surgem em nosso interior, questionamentos como: por que eu Deus? O que eu fiz pra merecer isso? Por que Deus está me castigando?

Quando a dor chega, via de regra, nos revoltamos, desesperamos, nos iramos contra alguém, até porque nunca esperamos que ela chegue. Não a nós!

Para muitos cristãos a dor e o sofrimento podem causar dúvidas profundas em sua fé, afinal: se tenho fé, e confio em Deus, por que estou passando por isso? Por que o sofrimento entrou em minha casa?

O período que estamos passando tem nos deixado bem claro que a dor chega para todos. Algo que nos assusta em meio ao nosso sofrimento e nos faz querer desistir é não saber quando isso tudo vai terminar, quando a dor vai acabar.

Em meio ao momento de pandemia que vivemos as pessoas tem tido diferentes reações. Temos aquelas pessoas que apenas negligenciam essa dor, que não se preocupam, pois em suas mentes ela não chegará. Outras estão em outro extremo, com medo e angustia, pensando que a qualquer momento a dor pode chegar.

Qual a sua reação perante essa ameaça de dor iminente?

Bom, sabemos também que fora desse contexto de pandemia, a dor tem chegado de outras formas a muitas pessoas, a muitas famílias. O sofrimento é algo presente em nosso mundo, e de fato, não sabemos quando ele irá bater a nossa porta. Seja por uma doença, seja por uma tragédia, seja por divisões, por perdas, seja como for, estamos sujeitos a passar pelo sofrimento a qualquer momento em nossa vida.

Vamos nos debruçar um pouco sobre o Livro de Jó e ver a história de um homem que de um instante para o outro perdeu bens, filhos e saúde. A dor chegou à vida de Jó sem avisos, sem explicação e sem recomendações.

Vamos olhar o contexto do livro:

No primeiro e segundo capítulos de Jó vemos que Satanás chega diante de Deus, nesse momento Deus fala de seu servo Jó, que o temia e servia verdadeiramente. O argumento de Satanás é de que Jó só o temia por ter uma vida de comodidade e tranquilidade, com uma bela família e grandes rebanhos.

Deus, então, permite que Satanás leve dor até Jó, tirando dele seus bens, seus filhos e sua saúde, tirando de Jó aquilo que nós podemos considerar como as bênçãos recebidas. Ao final disso, a própria mulher de Jó o passa a questionar.

Vamos abrir nossas Bíblias em Jó capítulo 2. 9-10.

“Então sua mulher lhe disse: "Você ainda mantém a sua integridade? Amaldiçoe a Deus, e morra! " Ele respondeu: "Você fala como uma insensata. Aceitaremos o bem dado por Deus, e não o mal? " Em tudo isso Jó não pecou com os lábios”. Jó 2:9,10

A esposa de Jó o encoraja a desistir de sua confiança em Deus. No entanto, a reposta de Jó diante da fala de sua esposa é incrível: “aceitaremos o bem de Deus e não o mal?” Ou seja, enquanto está tudo bem e a vida anda tranquila louvamos e agradecemos a Deus, mas no momento de dificuldade viramos as costas pra ele? Jó é uma exceção, pois de fato é difícil louvar a Deus no sofrimento.

Uma das primeiras lições que o livro de Jó nos ensina e que quebra um grande mito é (e aqui eu uso uma frase do pastor Samuel Sheffer): “coisas ruins acontecem a pessoas boas” assim como também, “coisas boas acontecem a pessoas ruins”.

A vida nem sempre é uma soma perfeita, onde eu faço bem e recebo o bem, ou faço mal e recebo mal, nem sempre você colhe o que plantou, em que sentido? A dor e o sofrimento também assolam as pessoas que amam a Deus, quer grandes exemplos disso? Jó, Elias, Paulo, Jesus! Servos de Deus que sofreram!

Em meio ao sofrimento, três amigos de Jó vêm ao seu encontro e, em luto, sentam-se no chão junto com ele. Ali, durante sete dias ficam em silêncio, só ficam ao lado do amigo. Esse já é um grande aprendizado, pois nessa parte os amigos de Jó foram incríveis. Os amigos souberam que diante do sofrimento e da angústia precisavam dar tempo ao outro. Tempo para pensar, tempo para digerir e tempo para por para fora.

No capítulo 3 Jó começa a falar, colocando para fora sua dor, seu sofrimento!Ele derrama em forma de poesia o que estava doendo lá dentro, ele põe para fora seu lamento. Vamos ler o relato:

“Pois me vêm suspiros em vez de comida; meus gemidos transbordam como água. O que eu temia veio sobre mim; o que eu receava me aconteceu. Não tenho paz, nem tranquilidade, nem descanso; somente inquietação". Jó 3:24-26

Percebemos nesses versículos o sofrimento de Jó. Ele gemia, suspirava, ele teve medo, ficou inquieto, perdeu sua tranquilidade, sua paz e seu descanso. Isso não quer dizer que Jó pecou em suas palavras ou sofrimentos, ele apenas foi verdadeiro naquilo que se passava em seu interior e pôs isso pra fora. Falou de sua dor e de seu sofrimento.

Que dilema: Por que nascer para sofrer?

Ah, os dilemas dessa vida, que muitas vezes não encontramos respostas!

O livro de Jó é precioso e rico, quem se debruça sobre ele sai transformado. Mas esse livro não trás uma receita pronta para se livrar da dor, não se engane a Bíblia não é livro de autoajuda, e graças ao bom Deus por isso.

Os livros de autoajuda são falsos tranquilizantes ao nos dizer que somos capazes de com nossas forças sermos bons, nos livrar do sofrimento, de sermos felizes. A autoajuda apenas nos engana e nos frustra, porque meu querido: você sozinho não vai dar conta! Nenhum esforço seu pode preencher o vazio que você tem ai dentro. Nenhum pensamento bom pode te livrar do sofrimento de forma verdadeira, ele é apenas um calmante que vai perder seu efeito com o tempo.

Para saber o que fazer com o sofrimento perguntamos: por que sofremos? Sabemos desde o início do livro que o sofrimento de Jó não é um castigo por algum pecado não confessado, não é essa a resposta para o sofrimento de Jó, apesar de nos próximos capítulos vermos os amigos de Jó insistindo que ele estava escondendo algo, algum pecado, afinal não havia outra explicação para tanta tristeza.

            Mas o texto nos afirma que não era essa a questão. No capítulo 1 lemos: “Em tudo isso Jó não pecou nem de nada culpou a Deus”. E no capítulo 2: “Em tudo isso Jó não pecou com os lábios”. Jó 2:10

            Então por que Jó sofreu? Por que sofremos se somos pessoas tão boas?

            Primeiro: Jesus deixa muito claro que há apenas um que é bom e esse é Deus! (Mc 10.18) Todos os nossos atos de bondade são decorrência da presença de Deus nesse mundo e em nós.

            Segundo: A dor é algo que nos aflige nesse mundo, pois vivemos em uma criação afetada pelo pecado. Mas o sofrimento e a dor não serão para sempre, pois sobre isso Jesus afirmou: “Eu enxugarei dos seus olhos toda lágrima. Não haverá mais morte, nem tristeza, nem choro, nem dor, pois a antiga ordem já passou". Apocalipse 21:4

            A dor , assim como a morte, não é o fim de tudo, é apenas parte do processo. “No mundo vocês terão aflições”, disse Jesus, “mas tenham bom ânimo, eu venci o mundo”! Essa é nossa certeza, e Jó aprendeu isso em sua dor.

            Após os amigos de Jó falarem, de Jó responder e até mesmo questionar a Deus, então Deus começa a falar. Nos capítulos 38 e 39 Deus começa a perguntar, a questionar Jó. Através de sua criação Deus mostra a Jó que Ele está no comando de todas as coisas, mesmo aquelas que negligenciamos.

            Quando Deus fala...

            Jó em meio ao sofrimento ouviu a voz de Deus! Não trazendo respostas, mas perguntas que o fizeram compreender quem é esse Deus. Perguntas que mostraram a Jó a soberania de Deus mesmo em meio ao caos.

            E lá no final do livro, Jó nos conta o resultado de todo esse sofrimento, o que esse sofrimento o fez perceber: "Tu disseste: ‘Agora escute, e eu falarei; vou fazer-lhe perguntas, e você me responderá’. Meus ouvidos já tinham ouvido a teu respeito, mas agora os meus olhos te viram. Por isso menosprezo a mim mesmo e me arrependo no pó e na cinza". Jó 42:4-6

            Jó conhecia a Deus e temia a Deus. Jó buscava fazer tudo corretamente, era um servo íntegro. Mas ao final do livro, após todo o sofrimento, toda a dor que Jó passou, ele testemunha algo maravilhoso. Antes eu ouvia falar de ti, mas agora os meus olhos te veem.

            A dor, os questionamentos, as perguntas, as dúvidas, levaram Jó para diante de Deus, aponto de Jó conhecer o seu Deus intimamente.

            Quero deixar a vocês dois pontos para refletirem:

  1. Todos passaremos pela dor em algum momento de nossas vidas. A questão é: em meio a dor lance suas perguntas, seus questionamentos, os medos, a raiva, lance diante de Deus, não contra Deus. O único consolo verdadeiro, sadio, e curador vem da presença de Deus. Em meio ao sofrimento corra para ele e não contra ele.

            O nosso problema é que pensamos que não podemos expor diante de Deus os nossos verdadeiros medos, a nossa indignação, a nossa angustia. Sim nós podemos e devemos. Mas precisamos saber também que Deus vai ouvir e responder de formas que podem nos surpreender.

            Para Jó Deus não deu respostas prontas, mas perguntas! Deus mostrou a Jó quem ele era, e Jó conheceu o amor de Deus!

  1. Essa dor tem prazo para terminar, ela não será para sempre. Deus não nos formou para sofrer, isso é consequência do pecado que está nesse mundo, consequência da separação entre Deus e o ser humano. Mas Deus já solucionou esse problema, como? Através do seu Filho!

            Eu repito agora Apocalipse 21. 3-5 onde temos a promessa de Deus, o fim de toda dor e sofrimento, a palavra final:

            “Ouvi uma forte voz que vinha do trono e dizia: "Agora o tabernáculo de Deus está com os homens, com os quais ele viverá. Eles serão os seus povos; o próprio Deus estará com eles e será o seu Deus. Ele enxugará dos seus olhos toda lágrima. Não haverá mais morte, nem tristeza, nem choro, nem dor, pois a antiga ordem já passou". Aquele que estava assentado no trono disse: "Estou fazendo novas todas as coisas! " E acrescentou: "Escreva isto, pois estas palavras são verdadeiras e dignas de confiança".

            Nessa esperança vimemos, esperamos, caminhamos, seguimos, sofremos e nos alegramos!

Que a dor seja “professor” e ensine o amor de Deus por ti!