“OE me disse: Daniel, homem muito amado, entende as palavras que vou te dizer, e levanta-te sobre os teus pés, porque a ti sou enviado. E, falando ele comigo esta palavra, levantei-me tremendo. Daniel 10:11 )

Pr. João

Pastor Auxiliar

bootstrap modal form

DEUS TRABALHA EM NOSSO FAVOR

O profeta Daniel é bem conhecido por alguns episódios tremendos que viveu durante seu exílio na Babilônia, porém pouco se sabe, ou se ensina, sobre o profeta. Daniel interpretou sonhos, foi perseguido por adversários políticos poderosos, viu passar vários reis pelo país inicialmente governado por Nabucodonosor e foi um exemplo de fidelidade ao seu Deus.
Imagino eu e você ao ajoelhar-se para orar, lá estão os anjos, à espera, aguardando as ordens de Deus a teu respeito. É um exército valente e invencível servindo o povo de Deus. Alguns deles com uma missão especial para isso. Eles estão a postos, demônios também!

Ao virem você ajoelhar-se, os ouvidos deles se aguçam, as asas se agitam… os demônios rosnam: “E, agora qual será a desse humano? Seja o que for vamos atrapalhar!” – devem reclamar os demônios.

Do outro lado as forças do Nosso General alertam: “Atenção esquadrão do céu, crente orando! Alerta máximo! De olho no exército inimigo! Afinal, nenhum dos planos de Deus é frustrado, e vamos fazer de tudo para destruir os planos do adversário, nem que eu mesmo (Miguel) tenha que ir na frente da batalha! Vamos despedaçá-los se ousarem tocar nos filhos de Deus!” – “Compreendido Senhor!” – Bradam aqueles milhares de anjos celestiais em nosso favor com as suas espadas reluzentes! Puxa! Como você é importante, hein?!

Então me disse: Não temas Daniel - O temor e a dúvida são dois inimigos perigosíssimos que pode por tudo a perder, a maioria das pessoas tem medo que suas orações não sejam atendidas e respondidas; alguns chegam até duvidar de suas próprias orações, o que se torna um erro gravíssimo conforme Tiago 1.6 - Peça com fé não duvidando, porque aquele que duvida é como as ondas do mar, impelida e agitada pelo vento.

O crente tem que ser determinado, não crente Tomé, que precisou ver para crer, nós andamos por fé e não por vista. O medo e a dúvida são dois inimigos da fé, é por isso que a Bíblia registra 366 vezes a palavra não temas e Jesus deu um mandamento a nós e a Tomé: Não sejas incrédulo, mas crente. João 20.27.


DANIEL O PROFETA DE ORAÇÃO
Daniel foi um intercessor, uma pessoa que orava três vezes por dia e pedia a Deus por Seu povo. Certa vez Daniel recebeu uma revelação de Deus, que envolvia grande conflito e dizia respeito a fatos que aconteceriam a Israel em tempos bem posteriores aos dias de sua vida. Por três semanas Daniel orou a Deus pedindo a revelação do significado de tudo que lhe foi entregue.

Nessas três semanas, Daniel fez um tipo de jejum que muita gente desconhece: ele não comeu nada que lhe fosse desejável, veja: “Alimento desejável não comi, nem carne nem vinho entraram na minha boca, nem me ungi com ungüento, até que se cumpriram as três semanas.” (Daniel 10:3). Daniel não ficou com fome durante três semanas, ele fez jejum de alimentos e bebidas de que gostava e também não se ungiu com unguento, ou seja, ele fazia sua higiene pessoal normalmente, só não se perfumava.

Jejum não é sinônimo de ausência de alimentação, é um sacrifício que fazemos para dominar a carne e nesse sentido, é plenamente aceitável, e até recomendável, que nosso jejum seja a abstinência de alimentos saborosos, ou de algum tipo de lazer. É preciso usar sua inteligência até para jejuar.

Pois bem.  Depois de três semanas Daniel estava frustrado, Deus ainda não havia respondido sua oração, parecia não ter ouvido suas palavras, ele estava sofrendo a mesma dor que sentimos quando Deus parece não nos ouvir, mas Ele nos ouve e nos responde.

A VISÃO DE DANIEL.
Quando Daniel estava nas margens do rio Hidequel, no antigo Império da Babilônia, ele teve a visão de um homem vestido de linho, cingido de ouro fino. Somente Daniel teve tal visão, os homens que o acompanhavam não viram nadinha, mas sentiram um grande temor e fugiram. Daniel ficou, mas estava tremendo da cabeça aos pés e sem força alguma.

Daniel apenas ouviu o som das palavras do homem vestido de linho, porque ele caiu seu rosto num profundo sono. Uma mão o tocou e fez com que ele ficasse de joelhos, com as palmas das mãos no chão. Aquele ser espiritual disse a ele: “Daniel, homem muito amado, entende as palavras que vou te dizer, e levanta-te sobre os teus pés, porque a ti sou enviado.” (Daniel 10:11a). Daniel levantou, mas ainda estava tremendo mais que gelatina em prato raso.

Outra vez o anjo falou a Daniel e disse: “Não temas, Daniel, porque desde o primeiro dia em que aplicaste o teu coração a compreender e a humilhar-te perante o teu Deus, são ouvidas as tuas palavras; e eu vim por causa das tuas palavras. Mas o príncipe do reino da Pérsia me resistiu vinte e um dias, e eis que Miguel, um dos primeiros príncipes, veio para ajudar-me, e eu fiquei ali com os reis da Pérsia.” (Daniel 10:12-13).

DEUS HOUVE E RESPONDE A ORAÇÃO.
Um anjo estava falando com Daniel e ele disse que Deus respondeu sua oração desde o primeiro dia em que Daniel jejuou e orou a Deus pedindo a compreensão das coisas a ele reveladas, porém o príncipe do reino da Pérsia não deixou o mensageiro de Deus passar e isso por vinte e um dias.

O anjo não estava falando de um reino humano, embora a Pérsia fosse precisamente o país onde estava Daniel, ele falava de uma batalha espiritual, que aprisionou o anjo de Deus por vinte e um dias e foi preciso Deus enviar Miguel, um dos primeiros príncipes no céu, para ajudar o anjo mensageiro a passar pelo inferno e entregar a resposta da oração de Daniel. Tudo o que aconteceu foi apenas no reino espiritual, isso fica claro no texto.

Isso também acontece com as respostas de nossas orações. Muitas vezes Deus responde nossos pedidos logo no primeiro dia, mas o diabo manda um príncipe do inferno resistir ao anjo da resposta. Por vinte e um dias o anjo mensageiro ficou preso pelo inferno.

Porém, algumas indagações aqui se tornam inevitáveis: Não poderia Deus ter enviado Miguel ou qualquer outra legião de anjos poderosos ainda no primeiro dia? Ou ainda não poderia o Todo Poderoso simplesmente ter estendido o seu braço e afugentado o inimigo liberando assim passagem para o mensageiro que levava a resposta de Daniel?

Percebemos que por trás do motivo apresentado pelo anjo havia ainda outro motivo, Deus quis provar a fé do seu servo. E nas orações que ainda não obtemos resposta, e nem tão pouco conseguimos entender o porquê do silencio de Deus, pode ser justamente isto que também esteja acontecendo. Nenhuma oração sincera deixa de ser respondida por Deus.

O QUE IMPEDE A ORAÇÃO DE SER RESPONDIDA?
Porém algumas coisas podem interferir em nossa comunicação com a resposta do Senhor. Algumas vezes é o próprio diabo que tenta (sempre em vão) impedir a bênção do Senhor em nossas vidas. Outras vezes somos nós mesmos que nos tornamos empecilhos para receber nossa bênção.

Nós sabemos, pela palavra de Deus, que algumas coisas podem impedir as nossas orações e fazer com que não sejam atendidas. Coisas como uma vida em pecado (Isaías 59:2), pedidos egoístas (Tiago 4:3), orações que estão fora do propósito e da vontade de Deus (I João 5:14). Impedimos a bênção do Senhor em nossas próprias vidas quando alimentamos a carne e suas obras, em detrimento do fruto do Espírito que deve transbordar em nossas atitudes e ações. Impedimos nossa bênção, quando nosso pedido não visa a glória de Deus, antes, pretende satisfazer desejos inconfessáveis

Mas, e quando não se trata de nada disto, será que mesmo assim o justo pode não ser prontamente atendido? A experiência de Daniel nos mostra que sim, e através dela poderemos aprender muito sobre isto. Deus só respondeu a Daniel, porque ele orou, jejuou e dispôs seu coração a entender a mensagem do Senhor, Isso nos ensina que devemos jejuar, orar e buscar sabedoria do Senhor para receber a o anjo da bênção, que sempre traz vitória e conquistas da parte de Deus para nós.

CONCLUSÃO
Por vinte e um dias Daniel clamou sem contemplar qualquer resposta, mas o anjo lhe assegurou que a sua oração havia sido ouvida no céu desde o primeiro dia de clamor. O motivo da demora, o anjo também explica, a oposição que “o príncipe do reino da Pérsia”, ou seja, certamente o próprio Satanás, havia feito a ele lhe impedindo de chegar a Daniel, até que o Arcanjo Miguel veio em seu socorro e lhe permitiu a passagem.
 
A prova para Daniel foi de vinte e um dias, mas com certeza este prazo não é uma regra, só Deus pode determinar quantas horas, dias ou anos durará a minha ou a sua provação. Mas uma certeza a palavra de Deus nos dá, a luta não dura para sempre, depois da noite escura a alegria de Deus nos vem no amanhecer: “...O choro pode durar uma noite, mas a alegria vem pela manhã.” (Salmos 30:5). E com certeza, quanto mais clamarmos, mais depressa Deus nos fará justiça (Lucas 18:7-8).

Ainda que Daniel precisou esperar pelo momento de Deus para receber a sua resposta, ela veio, e veio de uma forma gloriosa. Mas qual foi a tática que ele usou para tocar o coração de Deus? Na verdade ele não somente orou, mas demonstrou interesse para entender os desígnios de Deus e também se humilhou diante de sua soberania: “aplicaste o teu coração a compreender e a humilhar-te perante o teu Deus”.

Se como Daniel buscarmos a Deus, esperando o seu tempo sem desanimar e nem desistir de clamar, certamente também ouviremos o nosso nome acompanhado da frase: homem(mulher) muito amado(a)!
AMÉM..

COMPARTILHE EM SUAS REDES SOCIAIS

Endereço

Rua Protázio Garcia Leal, 1137 
Três Lagoas - MS

Contato

Email: secretaria@luterana3lagoas.com.br