bootstrap dropdown
pescador

“E estava ali um homem que, havia trinta e oito anos, se achava enfermo.” (João 5.5)

João Carlos

Pastor da Comunidade

A CURA DO PARALÍTICO DO TANQUE DE BETESDA

(João 5: 1-15) 

Vamos analisar um caso, que não foi da noite para o dia, e sim, um milagre que aquele homem (a Bíblia não cita o nome dele) esperava a 38 anos. Você deve estar se perguntando: “Qual a idade do paralítico de Betesda?”, vale ressaltar que possivelmente ele não tinha 38 anos, pois esse tempo era o que ele esperava pelo milagre e não a sua idade (João 5.5). 

Gostaria de lhe mostrar o quadro deste texto. Não pense em uma fonte de praça com um chafariz ao centro e crianças brincado com balões e algodão doce. O que temos aqui é uma lugar cheio de doentes, inválidos e mendigos. Um lugar que cheira mal e pode causar repulsa. Um amontoado de pessoas doentes e sem esperança. Estive em um lugar como este acompanhando uma cunhada em tratamento. Sentia-me mal por estar saudável e por não poder ajudar ninguém. Vi ali a incapacidade e fragilidade humana.

Qual a situação que o paralítico vivia.

A situação daquele paralítico estava bem complicado, visualmente falando. As Sagradas Escrituras dizem o seguinte ao seu respeito: “E estava ali um homem que, havia trinta e oito anos, se achava enfermo.” (João 5.5)

Como mencionado na introdução, esses 38 anos não é a idade do rapaz e sim o período que ele se encontrava nessa situação. Imagine você há trinta e oito anos fazendo a mesma coisa, esperando o mesmo milagre. Eu concordo que durante um dia, um mês e até um ano, conseguimos suportar, agora passou disso já começamos entrar em um estado de desespero. A esperança que tínhamos logo no início vai morrendo e assim por diante. A enfermidade daquele homem era não poder andar, com certeza ficar 38 anos sem conseguir andar, é extremamente complicado. Vemos aqui neste texto o Paralítico de Betesda, homem que, apesar de ter fé e esperança, não alcançava seu milagre. Muitas das vezes na sua vida, você se vê sem esperança para algo, pois com o passar do tempo, foi ficando cada dia mais difícil, mas, Deus ainda é um Deus de milagres!

E foi nessas condições que Cristo o encontra, caminhou até ele, e sabendo de tudo que já tinha acontecido naquela vida, Ele pergunta: Queres ficar são? (João 5.6).

Acerca dessa pergunta o comentário bíblico BEACON diz: “A compaixão de Jesus e o seu conhecimento das necessidades mais profundas do homem, uniram-se para produzir esta pergunta. A primeira vista, isto parece um pouco tolo. Claro que o homem queria ficar bem, caso contrário não estaria no tanque, uma fonte de cura. Mas Jesus sabia que as pessoas acabavam se acostumando a uma vida de desgraça e infelicidade, perdendo a vontade de responder a uma adequada fonte de ajuda. Assim, esta era sem dúvida uma boa pergunta!” Em outras palavras está dizendo: “Você já se acostumou com seu estado de miséria, ou é hoje que quer a transformação?”.

Assim é na nossa vida também, não podemos de forma alguma nos acomodarmos com aquilo que não nos faz bem, devemos sempre buscar uma oportunidade transformadora de sair do nosso estado de miséria.

Jesus sempre vai ao nosso encontro.

Jesus vinha da Galiléia, a caminho de Jerusalém, quando chegou ao tanque de Betesda, próximo à porta das ovelhas, no lado norte da cidade. O tanque de Betesda (que significa casa de misericórdia), simbolizava uma das únicas esperanças para um doente incurável. E nele se aglomerava uma grande multidão de enfermos e paralíticos, buscando uma única chance de se verem livres do mal que os afligia.

Um lugar onde a dor, a fragilidade do corpo e a miséria humana estavam em total evidência. Enfermos de todo tipo se juntavam e aguardavam uma gota de misericórdia divina, esperando o agito das águas do tanque. Somente o primeiro a entrar no tanque, receberia a cura.

E é neste lugar que nosso Senhor está passando, junto a esta multidão de doentes. Mas não ouvimos ninguém clamando: “Filho de Davi tem compaixão de mim!”. Não vemos nenhuma mulher escondida tentando tocar em suas vestes. Não, Cristo passa como uma sombra entre estes pobres doentes. Jesus estava ali entre eles, capacitado e disposto a curar, mas ninguém O procurou

Devemos ter uma visão espiritual e não momentânea.

1 – Ele esperava o movimento das águas (v. 3). Ali costumava ficar grande número de pessoas doentes e inválidas: cegos, mancos e paralíticos. Eles esperavam um movimento nas águas.

Acreditava que seu milagre estava associado ao grande agito, ao estrondoso, ao que chama a atenção. Para ele enquanto estivesse silêncio sinal de normalidade e barulho de águas esperança renovada. Jesus Chega e se apresenta num dia em que ninguém por ali o esperava e opera o milagre sem mover de água nenhuma.

Elias esperava ouvir Deus no Terremoto, no temporal, no muito barulho, entretanto, Deus se apresenta ao profeta soprando como brisa suave.

Aprendemos, então, que mesmo quando tudo esta calmo; Deus está operando um milagre em minha vida.

2 – Ele esperava a presença do Anjo (v. 4). De vez em quando descia um anjo do Senhor e agitava as águas. O primeiro que entrasse no tanque, depois de agitada as águas, era curado de qualquer doença que tivesse.

É impressionante, mas como esta fé caótica é tão forte entre nós. Vejamos que o homem estava diante do Criador dos anjos; Jesus, o Próprio Deus encarnado, mas a fé dele estava condicionada ao anjo.

Para todos que estavam ali a presença do anjo era garantia de milagres. Isso nos remete a Moisés; onde Deus promete a presença de um anjo para acompanhá-lo na jornada pelos desertos. Moisés entende que a presença do anjo seria interessante mas não o suficiente e diz: Senhor se tú não fores comigo eu não saio daqui. A presença de um anjo é boa mas a de Deus é insubstituível.

 

3- Ele acreditava que era por culpa dos outros que ele estava ali (v.7). Disse o paralítico: "Senhor, não tenho ninguém que me ajude a entrar no tanque quando a água é agitada. Enquanto estou tentando entrar, outro chega antes de mim".

Jesus faz uma pergunta fácil de responder: “Queres ser curado?” A resposta deveria ser sim ou não, entretanto o homem faz uma transferência culpando os outros por sua situação. Jesus não pergunta de que é a culpa, mas se queres receber o milagre.

Se você ainda culpa a Igreja, o pastor, a irmã “A” ou o irmão “B” pela sua doença ou pela falta das bênçãos em sua vida, ou mais, por você estar distanciado de Deus. Quero te dizer que, indubitavelmente, você é mais um paralítico de Betesda e precisa cura.

Aprendo que; muitas vezes deixamos de receber as benções de Deus simplesmente porque não reconhecemos que a culpa esta em nós e não no próximo. Jesus só vai operar o milagre se eu reconhecer que estou enfermo e que preciso do remédio.

Certamente o paralítico viu muitos desistirem. Muitos que "entregaram os pontos". Porém ele não desistiu. Trinta e oito anos paralítico e ele estava ali, aguardando uma oportunidade, esperando que a misericórdia de Deus o encontrasse um dia. E o texto informa que toda essa espera, toda essa persistência chegou ao conhecimento de Jesus. Aquela esperança e persistência em contar com a misericórdia divina já havia chamado a atenção do mestre. E sendo Jesus a própria misericórdia encarnada e viva, o mestre comovido com a situação daquele homem, declara a sua cura.

Conclusão:

Sim meu amigo, Jesus nos ama antes de imaginarmos amá-lO. Aprendemos em Sua Palavra que quando ainda éramos fracos, pecadores e inimigos de Deus, Cristo morreu em nosso favor nos reconciliando com o Pai (Romanos 5:6-10). Não nos é cobrado ou pedido nada. Não haveria dinheiro nenhum no mundo para comprar a nossa salvação. Nossas boas ações ao lado da perfeição divina não significam nada. Como esse paralítico todos somos impotentes e frágeis diante da possibilidade de salvação. Não podemos fazer nada por nós mesmos ou por nossos familiares. Então lhe faço a mesma pergunta: você quer ser curado? Deseja a salvação? Quer sair da frente deste tanque onde estão os moribundos e receber a cura de Cristo?

Jesus está disposto a curar, basta querer. Ao paralítico deu a seguinte ordem: “Levante-se! Pegue sua maca e ande”. Não foram meras palavras, mas palavras de graça e salvação. Pelo poder de Deus este homem levantou e foi andando. Ainda hoje Jesus opera por meio de Sua palavra poderosa. Ele pode e quer curar o seu coração, libertá-lo do pecado. Não existe doença mais mortal do que o pecado, do que deixar Cristo passar como uma sombra entre nossas vidas. Creia meu amigo, creia que Cristo é poderoso para salvá-lo. Confie nEle neste momento.

Gostaria de desafiá-lo a confiar em Cristo, não resista a este amor tão sublime. Responda a pergunta mais importante de sua vida: “Você quer ser curado?”. Ouça a voz de nosso Senhor que diz: “Voltem-se para mim e sejam salvos, todos vocês, confins da terra” (Isaías 45:22).

Amém.


SHARE THIS PAGE!

Endereço

Rua Protázio Garcia Leal, 1137 
Três Lagoas - MS

Contato

Email: secretaria@luterana3lagoas.com.br