"Filhinhos, não amemos de palavra nem de boca, mas em ação e em verdade." - 1 João 3:18

Irno Prediger

Pastor Emérito

bootstrap modal form

É PRECISO NASCER DE NOVO. COMO?

Jo 3.1-18 
Vez ou outra precisamos rever os fundamentos da nossa fé. Hoje quero abordar um destes assuntos que fazem parte daquilo que forma a base da fé cristã, pois é importante que você seja um discípulo de Jesus que possui uma vida de fé com raízes profundas. Temos pessoas bastante novas na igreja que precisam ter clareza sobre os fundamentos de sua fé. Para outros de vocês, com muitos anos de vida cristã, não faz mal rever as bases da sua fé. Assim podem ajudar os mais novos a criar raízes sólidas nas Escrituras, enquanto cumprem a tarefa de fazer discípulos de Jesus, pois vivemos uma época em que estamos cercados dum cristianismo superficial.

 Em João 3 temos um destes ensinos fundamentais de Jesus. Neste texto bíblico Jesus diz que é necessário nascer de novo para poder ver o reino de Deus. Jo 3.3: “Em verdade, em verdade te digo que, se alguém não nascer de novo, não pode ver o reino de Deus”. Isso Jesus falou para Nicodemos, mas o ensino deste capítulo da Bíblia é para todos nós.

 Quem era Nicodemos? Era um teólogo que integrava a liderança de Israel, pois fazia parte do Sinédrio (70 homens que lideravam Israel a partir de Jerusalém). Ele era rico e um importante “mestre” em Israel (Jo 3.10). Fazia parte do grupo religioso dos fariseus.

Nicodemos foi procurar Jesus de noite. Por que tinha medo? Provavelmente não. É que de dia Jesus estava rodeado de pessoas. À noite, sem o agito das multidões, Nicodemos poderia conversar com mais tranquilidade com Jesus.

Mesmo que Jesus não tinha uma formação teológica oficial dum escriba, Nicodemos reconhece Jesus como sendo “mestre em Israel”, pois ele e alguns outros amigos seus percebiam que os ensinos e sinais miraculosos de Jesus procediam da parte de Deus.

Nicodemos não formula uma pergunta a Jesus na sua abordagem inicial. Jesus, porém, conhece o interior do ser humano. Percebe que Nicodemos tem dúvidas para as quais gostaria de encontrar respostas. E, pelo que parece, as perguntas dele eram duas:

A primeira: Tu és mestre vindo da parte de Deus, mas és algo mais do que isso? És o Messias, por acaso? Para crer em Jesus como Salvador (= Messias), não basta ser religioso, estudado e praticante da Lei. Também milagres (ele sabia de alguns sinais feitos por Jesus) não necessariamente levam alguém à fé nele. Esta pergunta Jesus responde a Nicodemos, de forma discreta, durante a conversa: “Sim. Eu o sou”.

A segunda: Como posso entrar no Reino de Deus? Por mais religioso e bom homem que fosse, Nicodemos tinha um vazio em sua alma. Ele julgava conhecer o agir de Deus. Na realidade não o conhecia, pois o governo de Deus está oculto ao ser humano. A sabedoria humana não consegue entender os pensamentos e caminhos de Deus (Is 55.9). Estão muito além da nossa capacidade intelectual do ser humano. Por isso Jesus lhe diz: “Ninguém pode ver o Reino de Deus, se não nascer de novo”. Nossos olhos só são abertos por Deus num processo que Jesus chama de nascer de novo.

A isso Nicodemos pergunta (vers. 4): “Como pode um homem nascer, sendo velho? Pode, porventura, voltar ao ventre materno e nascer segunda vez?”. E agora segue um longo e profundo diálogo entre Jesus e Nicodemos. Jesus ensina, passo a passo, COMO NASCER DE NOVO e poder ver o Reino de Deus. Vamos olhar isso passo a passo, portanto.

COMO NASCER DE NOVO?
Nascendo do alto
Vamos olhar bem o que Jesus disse no versículo 3: “Em verdade, em verdade te digo que, se alguém não nascer de novo (ou: gerado do alto), não pode ver o reino de Deus”.

A palavra grega “anothen”, que Jesus usa, pode tanto significar “de novo” como “do alto”. Não é necessário decidir por uma das duas, pois, para nascer de novo, é preciso nascer do alto. Para você experimentar o reino de Deus, ou seja, o governo de Deus é preciso que você seja nascido de novo. Isso só é possível acontecer se você for gerado do alto, ou seja, de Deus. Práticas religiosas e conhecimentos bíblicos vêm de baixo, do homem. Essas coisas não operam o nascer de novo. Só Deus pode operar o novo nascimento em nós.


Nascendo da água
Jesus disse enfaticamente que é necessário nascer de novo para alguém poder experimentar o reino de Deus. Daí Nicodemos pergunta: “Mas como nascer de novo? Voltar ao ventre da mãe não dá, naturalmente”. Ele conclui: Isso é um sonho impossível!

Jesus repete a sua afirmação com um categórico “Amém, amém, te digo”! Em outras palavras ele diz: “Outra maneira não existe! Tem que nascer de novo”! Jesus cita, então, os dois meios pelos quais o “sonho impossível” de nascer novo pode tornar-se realidade. São eles: a água e o Espírito.

Primeiro, nascer da água. Como assim, da água?
Nicodemos sabia muito bem da impureza do ser humano perante Deus. Foi por isso que os fariseus haviam desenvolvido um complexo sistema de banhos e lavagens de purificação. Esses ritos, porém, não purificam e transformam ninguém. A impureza reside no interior da nossa natureza humana. Jesus ensina sobre isso em Marcos 7.

Foi João Batista quem trouxe um aprofundamento da ideia da purificação, indo além dos ritos de purificação. Não é o rito de purificação com água que limpa o coração humano. O novo nascimento inicia, contudo, com um profundo arrependimento pessoal, onde você sabe que fracassou perante Deus. As pessoas arrependidas e dispostas a viver uma vida transformada, João Batista mergulhava nas águas do rio Jordão. Naturalmente isso não basta para nascer de novo. A essa água precisa ser acrescentado o agir do Espírito de Deus, conforme o próprio João Batista já alertou com clareza. “Eu vos batizo com água, para arrependimento, mas aquele que vem depois de mim (Jesus) é mais poderoso do que eu... Ele vos batizará com o Espirito Santo e com fogo” (Mt 3.11).


Nascendo do Espírito
Além do arrependimento sincero, você precisa ser nascido do Espírito para poder ver o Reino de Deus. Isso significa que você não pode, por uma iniciativa sua, nascer de novo. Se já o arrependimento não acontece sem a intervenção do Espírito Santo (Jo 16.8), quanto mais o nascer do Espírito!

Jesus diz: “O que é nascido da carne é carne” (6), ou seja, é da natureza humana, impura, frágil e carnal. Essa é a nossa condição natural que não sobrevive no reino de Deus, pois a natureza de Deus é Espirito.

Somente o que é nascido do Espírito se torna espírito e passa a possuir dentro de si a natureza divina que suporta estar na presença de Deus. Por isso, você só pode ver o Reino de Deus se é nascido do alto, nascido do Espírito.

Na realidade, o nascer de novo é um mistério, semelhante ao vento. É algo que vai além da compreensão humana e não é captado pelos aproximadamente 1.500 gramas de miolo que o nosso cérebro contém. Você não consegue entender, contudo você pode crer e experimentar essa nova vida e esse novo governo de Deus em você. Para quem crê em Jesus, esse mistério do novo nascimento se torna realidade!

Li tempos atrás sobre um servo de Deus que havia sido um alcoólatra. Depois de seu novo nascimento, seus colegas de trabalho faziam de tudo para que ele se parecesse um tonto. “Sem dúvida”, diziam a ele, “você não pode crer que milagres podem acontecer. Certamente você não crê, por exemplo, que Jesus transformou água em vinho”. O antigo alcoólatra respondeu: “Não sei se Jesus transformou água em vinho, pois eu não estava na Palestina naquela época. Sei, porém, que em minha própria casa Jesus transformou cachaça em móveis”. Sim. Tal como o vento, o Espírito de Deus age de forma misteriosa e poderosa naqueles que nasceram de novo!


Olhando para a cruz
Nicodemos continua não entendendo e, no vers. 9 e continua perguntando: “Como pode suceder isto”? No fundo, parece, que ele está rejeitando educadamente o ensino de Jesus, pois não se enquadrava nos paradigmas dos fariseus. Mesmo assim Jesus o leva a sério em sua pergunta “Como pode suceder isto?”.

Depois de repreender Nicodemos elegantemente (Jo 3.10-12), Jesus chega ao ponto decisivo de seu ensino sobre o assunto (Jo 3.13, 14). Jesus aponta para o lugar onde uma pessoa encontrará esse ser gerado do alto, o lugar onde se nasce da água e do Espírito. Jesus lhe fala da cruz. O sacrifício do Filho de Deus na cruz abre o caminho para que o Espírito Santo possa operar em nós o nascer de novo.

Para falar da cruz, Jesus usa um acontecimento que Nicodemos conhecia das Escrituras (Nm 21.4-9). Devido à rebeldia contra Deus, o povo de Israel estava morrendo pelas picadas de serpentes. Se, porém, olhassem para uma serpente de bronze erguida num poste, eram salvos. “Da mesma forma... também é necessário que o Filho do homem seja levantado” (v 14 cf NVI).

Da mesma forma, diz Jesus. Ele, o Filho do homem, seria levantado num poste para ser feito pecado. Ali ele é julgado por Deus com a morte. E assim como no tempo de Moisés, quem olhar com fé para o crucificado na cruz, é salvo da morte. Assim como no tempo de Moisés, basta uma coisa para Nicodemos, assim como para mim e para você prezado ouvinte: olhar com fé para a cruz. Na realidade, basta crer que Jesus já foi julgado na cruz pelos nossos pecados e ali morreu em nosso lugar.

Paulo escreve: “Deus tornou pecado por nós aquele que não tinha pecado, para que nele nos tornássemos justiça de Deus” (2 Co 5.21). Aqui está o decisivo passo para a nova vida. Olhe para o carregador dos seus pecados! Com fé, olhe para Jesus, o crucificado, prezado amigo!


Crendo em Jesus
“Para que todo o que nele crer tenha a vida eterna” (v. 15).
Finalmente, você nasce de novo, crendo , ou seja, confiando em Jesus! É a única ação requerida da pessoa. Tudo mais é obra de Deus. Crer nele já inclui olhar para quem foi “levantado no poste” do julgamento de Deus. Crer é uma ação, mas não uma realização. É um ato que até o mais humilde e fraco pode executar. Não exige esforço algum da nossa parte.

Quem olha com fé para a cruz e crê no Filho de Deus, sabe da sua perdição. Ele reconhece que sua libertação do pecado e morte só é possível através daquele que foi crucificado na cruz. O maravilhoso é que esse “crer nele” opera em nós o começo do novo nascimento e suspende nossa condenação pela nossa culpa. Nesse simples ato de crer, a perdição que pesava sobre cada pessoa é suspensa. “Pois Deus enviou o seu Filho ao mundo, não para condenar o mundo, mas para que este fosse salvo por meio dele. Quem nele crê não é julgado” (Jo 3.17, 18a).

Ao crer em Jesus e tendo, assim, nascido de novo, você não precisa temer o juízo final. O seu pecado já foi julgado lá na cruz! Sim, Com base nessa clara palavra de Jesus, você passou a ter o privilégio de poder viver e morrer com essa preciosa certeza: “Não serei julgado, pois o meu julgamento já ocorreu na cruz!” Por isso, simplesmente, creia em Jesus!

E que coisa maravilhosa! Esse “crer” conduz ao “ter”, ao “ter a vida eterna”. Não só esperamos receber essa vida eterna em algum momento futuro, mas já a “temos” agora!

CONCLUSÃO: A FONTE
Para finalizar preciso falar da fonte de todo esse maravilhoso acontecimento que possibilita a mim e a você nascermos de novo e obtermos a vida eterna. Essa fonte é o amor de Deus. “Porque Deus amou ao mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo o que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna” (Jo 3.16).

É provável que você saiba de cor este versículo, mas eu gostaria que você considere a palavrinha “de tal maneira”, como consta na tradução de Almeida. Ela corresponde a muito mais do que “tanto” (NVI). Tudo depende deste “de tal maneira”, que caracteriza o amor de Deus.

Deus ama o mundo, o que inclui a você e a mim, duma forma intensa, incompreensível, profunda e poderosa! Não se trata duma simples amabilidade de um Deus querido. Afinal o mundo é de fato mundo, uma humanidade de natureza profundamente rebelde contra Deus, hostil ao seu Criador, pervertida! A esse mundo hostil somente o santo Deus pode amar de tal maneira que deu seu único Filho, fazendo-o “serpente de bronze”, ou seja, fazendo-o pecado e até maldição (Gl 3.13). Jesus precisou ser “dado” e entregue! O Senhor da glória precisou ser açoitado, cuspido e até ser abandonado e julgado na cruz! “De tal maneira” Deus nos amou! Só um amor desses é capaz de transformar-nos de “inimigos” em “pessoas amadas”.

Que coisa fantástica é esse amor de Deus por você e por mim! “De tal maneira nos amou”! Ele fez tudo isso para que você e eu não pereçamos, mas sejamos salvos e tenhamos uma vida nova, vida significativa, vida com sentido, vida abundante e que se prolongará pela eternidade!
E como você recebe essa nova vida? Simplesmente crendo em Jesus! Crer em Jesus implica em acolher esse imensurável amor de Deus! Você crê nele?

Voltando a Nicodemos. Ele creu e nasceu de novo? Ao que tudo indica ele continuou preso aos seus conceitos dos fariseus e não creu em Jesus como sendo o Salvador. Mas Jesus o alertou no final de sua conversa naquela noite quanto à sua opção: “Quem não crê já está condenado, por não crer no nome do Filho Unigênito de Deus” (Jo 3.18).
E você crê em Jesus?

COMPARTILHE EM SUAS REDES SOCIAIS

Endereço

Rua Protázio Garcia Leal, 1137 
Três Lagoas - MS

Contato

Email: secretaria@luterana3lagoas.com.br