“A semente é a palavra de Deus” (Lucas 8.11).

Pr. Valmir Ropke

Pastor Geral

bootstrap modal form

LANÇANDO A SEMENTE

“A semente é a palavra de Deus” (Lucas 8.11).
Vulcão Krakatoa, o responsável por uma das maiores explosões já registadas na terra. O vulcão Krakatoa, se encontrava 50 km da costa de Sumária e Java (Indonésia), e nas proximidades se tinha quase meio milhão de habitantes, provocou tsunamis com 30 metros de altura, onde trinta e seis mil pessoas morreram.


Na ilha não sobrou nenhuma vegetação e animais, pois formou-se uma camada de trinta metros de cinza. Os cientistas acreditavam que nenhum animal ou planta poderia ter sobrado a tal erupção. Mas as aves, o vento e o próprio mar haviam levado sementes para a ilha. No entanto, três anos seguintes algumas vegetações já começavam a dar sinais de vida. E, após 15 anos o acontecido, a ilha já estava coberta de plantas e animais.


O agricultor. Jesus muitas vezes utilizou a ilustração do agricultor quando falava a respeito de evangelismo. Ele nos ensinou que devemos pegar a “sua semente”, que é a palavra escrita de Deus e lança-la na vida das pessoas de todas as maneiras possíveis. Mas, assim como todo agricultor sabe, há coisas que ele precisa fazer e outras que somente Deus pode fazer. O Agricultor pode lançar a semente e regar o solo, assim como um cristão pode lançar e regar a semente que é a “Boa Notícia.”


Semear + regar. Não basta apenas semear, mas é necessário também regar. “Eu plantei, Apolo regou, mas Deus é quem fazia crescer; de modo que nem o que planta nem o que rega são alguma coisa, mas unicamente Deus, que efetua o crescimento. O que planta e o que rega têm um só propósito, e cada um será recompensado de acordo com o seu próprio trabalho” (I Coríntios 3.6-8).


Temos uma parte importante, onde precisamos ter a consciência da nossa tarefa de anunciar o evangelho. Mas o resultado, que são vidas convertidas a Cristo, isto é ação do próprio Deus.


Contando minha história: Quero relatar como foi a minha história até chegar a conversão a Cristo.

- Na infância acompanhava meus pais na igreja, na participação nos cultos e nos encontros caseiros.

- Ainda, quando criança, tenho a lembrança de meu pais me incentivando a ler um livro que contava a parábola do semeador as pessoas que iam até a nossa casa.

- Na adolescência, participei por um período de 2 anos do ensino confirmatório. Estudos para confirmar o batismo já recebido, na infância.

- Na juventude, veio a acontecer a minha decisão a Cristo e passei a ser um seguidor de Cristo. A partir de um convite de um amigo para participar de um evento que estava acontecendo em uma exposição cultural da cidade. A princípio eu estava indo para prestigiar uma banda secular e ao perceber que era um evento de igreja, houve uma frustração inicial. Aos poucos fui sendo envolvido pelos louvores, pela pregação da palavra escrita de Deus e naquela noite tomei a decisão mais importante da minha vida.


Reconheça os níveis de receptividade. Se faz, necessário entendermos os níveis de receptividade de cada pessoa. Onde, cada um está em um determinado estágio de sua jornada até alcançar a salvação. Alguns estão muito próximos de Jesus, outros, no entanto, ainda tem um longo caminho a percorrer. A essência do evangelismo é avançar conforme o nível de receptividade espiritual da pessoa, confiando que Jesus está trabalhando na vida dela.


É comum muitos cristãos pensaram que evangelismo só é bem-sucedido, se uma pessoa orar recebendo Jesus como Senhor e salvador de suas vidas. Porém, a única maneira de uma pessoa receber Jesus é quando a semente foi lançada e regada. Aí, sim a colheita está pronta.

A escala segundo Engel
> -10 Consciência quanto à existência do Sobrenatural; 
> - 9 Nenhum conhecimento concreto do cristianismo;
> -8 Consciência Inicial sobre o cristianismo;
> -7 Interesse pelo cristianismo;
> -6 Consciência sobre os fatos básicos do Evangelho;
> -5 Compreensão quanto as implicações do Evangelho;
> -4 Atitude positiva para com o evangelho;
> -3 Consciência de sua necessidade pessoal;
> -2 Desafio e decisão para uma ação
> -1 Arrependimento e fé;
>  0 Nascimento de um discípulo;
> +1 Avaliação da decisão tomada;
> +2 O início da igreja;
> +3 Começar o processo de fazer novos discípulos;
> +4 Crescimento na compreensão da Fé;
> +5 Crescimento no caráter Cristão;
> +6 Descoberta e uso dos dons;
> +7 Estilo de vida Cristã;
> +8 Administração de seus recursos;
> +9 Oração
> +10 Compartilhamento real de vida de fé


É importante entendermos que cada pessoa está em um nível espiritual diferente. O grande desafio é fazer com que a pessoa avança em direção a maturidade em Jesus.

1. Se, você testemunhar para uma pessoa que tem nenhuma base do Evangelho, e ela avançar um pouquinho, saiba que o seu testemunho foi bem-sucedido.

2. Já, se você tem o privilégio de orar por alguém que já estava preparado para receber Jesus, igualmente você foi bem-sucedido.

É possível que em sua lista, “Meus Alvos” que haja pessoas que entregarão suas vidas a Jesus num primeiro desafio feito a elas. Mas também, terá pessoas que ainda não estão prontas. Por isso, é importante não forçar um compromisso se a pessoa ainda não estiver pronta.


O segredo é lembrar que evangelizar é um processo, e que em algum momento desse processo a pessoa fará uma decisão por Jesus.

Disse Jesus: “Aquele que colhe já recebe o seu salário e colhe fruto para a vida eterna, de forma que se alegram juntos o que semeia e o que colhe. Assim é verdadeiro o ditado: ‘Um semeia, e outro colhe’. Eu os enviei para colherem o que vocês não cultivaram. Outros realizaram o trabalho árduo, e vocês vieram a usufruir do trabalho deles" (João 4.36-38).
Nunca esqueçam, alguns vão semear e outros colherem. Mas, os dois são igualmente necessários.


O Espírito Santo é o diretor de evangelismo. Ele é maestro da obra divina que acontece na vida de cada pessoa. Que privilégio poder participar em sua obra! Pode ser que hoje você seja aquele que lança a semente, e amanhã Deus pode usar outra pessoa para colher o que você plantou.


Diversas maneiras de se envolver
Uma vez, que entendemos que a nossa principal função é plantar e regar, deveríamos estar prontos para compartilhar a “Boa Notícia” de todas as formas possíveis.


Não existe apenas uma maneira de lançar a semente. Não existe apenas uma forma de regar. Nem existe apenas uma maneira de fazer a colheita.

1. Há os grandes evangelistas que fazem cruzadas em massa, como Billy Grahan.

2. Há evangelistas que entregam folhetos nas praças, nos semáforos;

3. Tem pessoas fazendo visitas nos hospitais para os doentes;

4. Tem aqueles que falam de Jesus enquanto fazem seu lanche em um local público;

5. Outros evangelizam no seu trabalho;

6. E, outros encontram grande oportunidade em seu lazer.

Evangelizar é uma tarefa extremamente importante. O evangelismo pessoal é o mais funcional. As estatísticas dizem, que cerca de 80% das pessoas vem a Jesus por causa do testemunho de membros da família ou amigos. Para tanto, meu querido não deixe de falar de Jesus para as pessoas que fazem parte de seus relacionamentos.


O Pequeno Grupo é uma oportunidade para vocês terem: a edificação, o discipulado, mas também de experimentarem o evangelismo. Através de seus encontros, seja em um encontro festivo de seu PG, na comemoração de um aniversário, ou em um passeio em grupo. Todas elas são oportunidades de praticar evangelismo.


Perguntas para a edificação dos encontros de Pequenos Grupos:
1. Há uma variedade de métodos de evangelismo. Qual tem sido a sua maneira de evangelizar?
2. Considerando, que as pessoas estão diferentes níveis de receptividade ao Evangelho. Fale de sua jornada em direção a Cristo.

COMPARTILHE EM SUAS REDES SOCIAIS

Endereço

Rua Protázio Garcia Leal, 1137 
Três Lagoas - MS

Contato

Email: secretaria@luterana3lagoas.com.br