“A tua palavra é lâmpada que clareia os meus passos e luz que clareia os meus caminhos” (Salmos 119.105) )

Valmir Ropke

Pastor Geral

bootstrap modal form

DEUS NOS GUIA

Tomamos decisões em nossos relacionamentos, em como organizar uma moradia, como conduzir o casamento. Também em como administrar o tempo e como organizar as finanças.

A direção certa brota de um relacionamento com Deus.

I. Deus nos guia através das Escrituras


A Bíblia revela maravilhosas instruções. Isto acontece de duas maneiras:


Primeiro, a vontade geral de Deus

Pela Bíblia sabemos que certas coisas são erradas e outras corretas.

 Imagine uma pessoa casada dizer: “Estou apaixonado por tal pessoa e sinto que Deus está pedindo para eu venha largar de minha esposa”. Deus não nos leva a cometer adultério.

 Outro exemplo da vontade geral de Deus é que as pessoas se casem e com alguém do sexo oposto. Mas a Bíblia não nos diz a pessoa com quem devemos nos casar.

Segundo, a vontade particular de Deus

É quando lemos as escrituras e Deus nos dá uma palavra que vem de encontro a uma decisão particular. Em Salmos 119.105 diz: “A tua palavra é lâmpada que clareia os meus passos e luz que clareia os meus caminhos”.

II. Deus nos guia pelo Espírito Santo


1. Precisamos consultar a Deus antes de tomarmos decisões.

A oração é uma conversa de duas vias. Imagine, eu vou ao médico e digo:

“Doutor, estou com um monte de problemas! Estou com uma unha encravada. Ah, estou com hemorroidas. Não aguento de coceira nos olhos e tenho umas pontadas nas costas. Além disso, preciso de uma injeção contra gripe...”.

Depois de falar tudo isso, olha para o relógio e diz: Como o tempo passou! Preciso ir embora. Muito obrigado pela atenção”.

Possa ser que o médico diga: “Ei! Espere um momento seu apressadinho! Porque você não espera para ouvir o que eu tenho a dizer?”

2. Às vezes Deus nos fala dando um forte desejo de fazer algo

Deus faz com que você deseje agir “de acordo com a boa vontade dele”(Filipenses 2.13).

Quando temos o Espírito Santo muitos de nossos desejos são mudados de endereços.

Antes da minha conversão, não pensava em ser missionário. Deus proporcionou um forte desejo em servi-lo como seu ministro.

III. Deus nos guia pelo bom senso


1. Nossa atitude precisa ser de humildade e de temor ao Senhor

Deus nos guia a partir do momento em que deixarmos prevalecer a sua vontade e não a nossa.

O salmista Davi nos diz, em SL 37.5: “Entregue o seu caminho ao Senhor, confie nele e ele agirá”. O nosso papel é entregar a decisão a Jesus e confiar nele.

 Exemplo: Um cristão conheceu uma moça e acabou em namoro. Tinha um, porém, ela não era cristã. Estava claro para este jovem cristão de que sua esposa deveria ser alguém que confessasse a mesma fé. Mas ao mesmo tempo não queria pressioná-la.

Então fez conforme o salmista Davi e entregou tudo a Deus dizendo: “Senhor, se este relacionamento não for certo, peço-te que acabes com ele. Se for, então que ela se torne uma cristã até o final deste semestre”. Fez isso sem compartilhar com ela.

E chegou o último dia do semestre. Pouco antes da meia noite a namorada sugeriu para passearem de carro pela cidade. Estavam apenas passando tempo e ela começou a indicar caminhos que vinha à sua mente, só por brincadeira: “três ruas para a direita, três ruas para esquerda e agora ande dois quilômetros e então pare”.

Acabaram parando em um cemitério e na sua entrada havia uma enorme cruz. Isto chocou a moça do que acabou acontecendo. Naquele momento ficou claro de que não chegaram naquele lugar por acaso. Começou a chorar e pouco depois ela aceitou a Jesus.

Hoje, casados e felizes há muitos anos, eles ainda lembram como a mão de Deus esteve com eles naquele momento.

2. Deus nos encoraja a usar a mente

Ser cristão não significa abandonar a mente. Salmo 32.9, “Não sejam como o cavalo ou o burro, que não tem entendimento, mas precisa ser governados com freios e cabrestos, caso contrário não obedecem”. Em II Timóteo 2.7 “Reflita no que estou dizendo, pois o Senhor lhe dará entendimento em Tudo”.

As promessas de que Deus nos guiará não nos foram dadas para nos poupar de pensar. (Jhon Stott)

3. O bom senso é fundamental na escolha do conjugue.

 Sendo espiritualmente compatível - Compartilhando da mesma fé em Jesus.

 Sendo pessoalmente compatível - O casal precisa ser amigo. Alguns pontos em comum em suas vidas. Pois poderá chegar o dia em que aquela paixão inicial possa desaparecer.

 Sendo fisicamente compatível - Não basta sermos espiritualmente compatíveis e emocionalmente compatíveis. A química também deve funcionar.

Mas é importante ressaltar, que ela vem por último na ordem das perspectivas do Reino de Deus. Para o mundo é preciso dormir juntos para saber se são compatíveis um ao outro.

Perguntas para edificação do pequeno grupo:

1. O que você costuma fazer quando as incertezas, medo e perdas assombram a sua paz?

2. O que hoje está lhe impedindo em ser conduzido plenamente por Deus?

3. Compartilhe experiências onde tem sido guiado por Deus, seja pela Bíblia, pelo Espírito Santo ou pelo bom senso?


COMPARTILHE EM SUAS REDES SOCIAIS

Endereço

Rua Protázio Garcia Leal, 1137 
Três Lagoas - MS

Contato

Email: secretaria@luterana3lagoas.com.br